Benefícios do Pilates na prevenção da sarcopenia em Idosos. - Qualytá - Pilates e Treinamento Funcional
Motivos para você investir na formação completa em Pilates
16/06/2018
Pilates no Tratamento da Lombalgia Crônica
28/06/2018
Exibir tudo

Benefícios do Pilates na prevenção da sarcopenia em Idosos.

Cada vez mais a população de idoso vem aumentando no Brasil e no mundo, alterando profundamente a dinâmica demográfica. Houve um acréscimo de 15 milhões de indivíduos idosos no Brasil no últimos 60 anos passando de 4% para 9% da população brasileira. Em 2025, estima-se  que haverá um aumento de mais de 33 milhões, tornando o Brasil o sexto país com maior percentual populacional de idosos no mundo.

Envelhecimento é tido como um processo contínuo e fisiológico caracterizado pela diminuição funcional dos diversos sistemas biológicos (SILVA E BRITO, 2017). Os efeitos são notórios e uma das estruturas afetadas é a musculoesquelética, na qual o indivíduo perde massa e força muscular, variáveis envolvidas na capacidade de realizar as Atividades de Vida Diárias (PERFEITO, 2014).

A degradação da força e a perda de massa muscular mostra-se como preditora para o aumento da dependência funcional, afetando a qualidade de vida do indivíduo. Além disso, a perda de massa muscular está intimamente ligada a outros sistemas, como por exemplo, o cardiorrespiratório. Uma baixa de força diminui a capacidade de locomoção, que reduz a aptidão cardiopulmonar, sendo uma via cíclica e contínua (SOUZA, 2017). Em geral, pessoas saudáveis começam a ter importante diminuição da massa muscular a partir dos 45 anos, ocorrendo após o pico de desempenho muscular nos primeiros anos da vida adulta (MELOV et al., 2007; GOMES et al., 2009). Este fenômeno recebe o nome de sarcopenia.

Além de dificuldades na absorção dos nutrientes, o uso de medicamentos, presença de doenças e estilo de vida sedentário, pode contribuir para a maximização da sarcopenia, sendo determinantes para a incapacidade funcional no envelhecimento.

Diminuição da mobilidade articular e equilíbrio corporal, podendo ocasionar quedas seguidas de fraturas, são consequências importantes do processo de sarcopenia no idoso. Um dos motivos também está relacionado com a detrimento gradual de motoneurônios e fibras musculares do tipo IIa (fibras de contração rápida), alterando as funções das células remanescentes (FREITAS et al., 2006) e dificultando movimentos mais finos e rápidos.

Por se tratar de um processo fisiológico, a sarcopenia não pode ser curada, no entanto, o exercício físico é apontado como relevante procedimento não farmacológico para diminuir suas repercussões, afetando positivamente, não só no sistema músculo esquelético, como também, no imunológico, no cardiovascular, na estabilidade postural, na prevenção de quedas, na melhora da autonomia e na função psicológica, que envolve a cognição, depressão, ansiedade, percepção de controle, entre outros (PERFEITO, 2014).

Diante do exposto, podemos afirmar que o exercício físico é um importante aliado no processo de prevenção das consequências da sarcopenia, ajudando sobremaneira a manutenção da força muscular e da integridade de outros sistemas.

Assim, o método Pilates, bem orientado por profissionais de Fisioterapia e Educação Física, ajudará muito na qualidade de vida do indivíduo.

Curso de formação em Pilates de qualidade é na Qualytá cursos.

Siga: @qualytacursos

Curta nossa Fanpage: Qualytá cursos

 

Referências Bibliográficas

FREITAS, E; PY, L; NÉRI, A; CANÇADO, F; GORZONI, M; ROCHA, S. Tratado de Geriatria e Gerontologia .2.ed. Rio de Janeiro: Guanabara-Koogan, 2006.

GOMES, G; CINTRA, F; DIOGO, M; NERI, A; GUARIENTO, M; SOUSA, M. Comparação entre idosos que sofreram quedas segundo desempenho físico e número de ocorrências. Revista Brasileira de Fisioterapia, São Carlos, v. 13, n. 5, p. 430-437, set./out., 2009.

MELOV, S; TARNOPOLSKY, M; BECKMAN, K; FELKEY, K; HUBBARD, A. Resistance Exercise Reverses Aging in Human Skeletal Muscle. PLoSONE, v. 2, n. 5, p. 1-9, 2007.

PERFEITO, R. Método Pilates: uma possível intervenção para a promoção da saúde. Kirios: Rio de Janeiro, 2014.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *