Crioterapia No Pós Operatório de LCA - Qualytá - Pilates e Treinamento Funcional
Pilates no Tratamento da Lombalgia Crônica
28/06/2018
Pilates no tratamento da dor lombar
14/08/2018
Exibir tudo

Crioterapia No Pós Operatório de LCA

As lesões ligamentares do joelho são cada vez mais comuns na atualidade, principalmente na prática desportiva.

Nos indivíduos de faixa etária entre 15 a 25 anos, o ligamento cruzado anterior (LCA) é o mais acometido. A incidência de ruptura de LCA isolado é de 30% ao ano e mais de 100 mil procedimentos cirúrgicos de reconstrução são realizados anualmente no Estados Unidos.

Visando restaurar a estabilidade anatômica e funcional da articulação do joelho, o tratamento para lesões do LCA é cirúrgico, permitindo o retorno do paciente ao nível de atividade física prévia a cirurgia.

Com o objetivo de redução de quadro álgico, edema e inflamação, além da melhora do controle neuromuscular, força muscular, amplitude de movimento, marcha e propriocepção, é essencial que o paciente seja orientado num programa de reabilitação fisioterapêutico.

Dentre vários métodos, a crioterapia é um importante auxiliar do fisioterapeuta no processo de reabilitação. Com baixo custo e bons resultados, o método é comumente utilizado nas afecções musculoesqueléticas, principalmente em lesões agudas de tecidos moles.

Apesar do uso difundido da crioterapia, ainda existem divergências na literatura quanto a efetividade dos seus vários métodos de aplicação.

O estudo abaixo se preocupa em estudar a efetividade da crioterapia no pós operatório imediato de reconstrução de LCA em relação a redução da dor e melhora da amplitude de movimento do joelho.

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-78522012000500008&lang=pt

Curso de formação em Pilates de qualidade é na Qualytá cursos

Siga: @qualytacursos

DAMBROS, Camila et al . Efetividade da crioterapia após reconstrução do ligamento cruzado anterior. Acta ortop. bras.,  São Paulo ,  v. 20, n. 5, p. 285-290,    2012 .   disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-78522012000500008&lng=en&nrm=iso>. Acesso em:  05  Julho de  2018.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-78522012000500008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *